O “BOOM” dos produtos baratinhos/nacionais

Hoje o assunto é com as meninas e meninos que curtem maquiagem, e também para as pessoas que possuem alguma curiosidade sobre o assunto.

Alguém percebeu uma mudança no nosso mercado quando o assunto é “Produtos Nacionais * x Produtos Importados”? Quando comecei a me interessar por esse universo de bases, sombras, pó compacto, máscara para cílios…a maioria das blogueiras sempre traziam produtos importados, e quem se atrevia mostrando algo dito “nacional” não tinha muito prestígio na blogosfera.

*Nota do Balaio da Dani: No grupo “Produtos Nacionais” estou classificando aquelas marcas baratinhas vendidas em lojas de R$ 1,99 (que não vendem mais nada por este preço), em lojas de cosméticos, e que mesmo sendo produzidos na China são classificados como nacionais por causa da sua característica popular.

Anos se passaram, e nos últimos tempos foi possível presenciar duas coisas: o crescimento das blogueiras que apresentam “produtos baratinhos” (lê-se também, produtos nacionais), e o investimento das marcas populares para melhorar os seus itens e acompanhar as tendências do setor.

Não tenho informações aprofundadas sobre o assunto, mas essa mudança aconteceu mais ou menos ao mesmo tempo que o dólar começou a aumentar. Posso estar enganada, mas acho que as tímidas Vult, Toque de Natureza, Dailus, Macrilan, Ruby Rose, Luisance, Fenzza, Felicittá, entre outras, perceberam que em breve haveria há possibilidade delas caírem “nas graças” dos consumidores que não podem gastar tanto, mas prezam pela qualidade, e ainda conquistar aqueles que antes só confiavam e usavam as famosas marcas, importadas ou não.

Além de contarem com o boca a boca, muitas empresas utilizaram ações de marketing que surtiram o efeito esperado. Se antes o lápis de olho preto da Toque de Natureza era um estranho no ninho dentro de um tutorial de maquiagem com base da MAC, pó compacto da Shiseido, sombras da Urban Decay, blush da Benefit Cosmetics e batom da Lancôme, hoje ele divide muito bem o espaço com a base da Ruby Rose, com o pó da Vult, as sombras da Felicittá, o blush da Dailus e o batom da Quenn Make Up. Comparando o “Kit Rica” com o “Kit BBB”, o custo do segundo é infinitamente menor.

No caso das garotas e garotos que queriam entrar no mundo dos blogs, do Youtuber e do Instagram, mas não tinham dindin suficiente para investir/conhecer/divulgar os produtos importados, esses focaram em outro nicho de mercado: os produtos e marcas BBBs. Hoje são inúmeros os canais no Youtuber com tutorias, dicas, resenhas, publieditorias e comparações apenas com as marcas mais populares.

O resumo de tudo isso é que o universo da maquiagem, dentro do possível, está se tornando um pouco mais democrático. Produtos e embalagens foram para outro patamar, ganhando qualidade e beleza, e ainda mantendo o atrativo do preço camarada. Claro que os reis e rainhas nunca perderão a majestade, mas os azarões da maquiagem popular estão correndo lindamente por fora, e hoje não é mais vergonha sacar da bolsa seu pó da Max Love que custou R$ 10,90, e aplicar com o seu pincel da Plaboy de R$ 15,00. 😉

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s